fbpx

8 Fatores pouco conhecidos que podem afetar sua produtividade

8 Fatores pouco conhecidos que podem afetar sua produtividade

11 de maio de 2019 Blog 0
computer 3368242 1920 - 8 Fatores pouco conhecidos que podem afetar sua produtividade

A produtividade é um termo de interesse de boa parte das pessoas. Ser mais eficiente no que faz e poupar recursos, apesar de ser algo desejado, fazem parte de uma realidade distante da que muitos de nós vivenciam. Contudo, existem elementos para além das técnicas e ferramentas que podem ter graves impactos nos resultados que colhemos.

1) Insegurança

A insegurança é um dos fatores que mais gera procrastinação. A pessoa se sente incapaz de realizar aquela atividade ou de lidar com os “e se” da oportunidade e adia ao máximo, para evitar decepções. Esse movimento é muitas vezes inconsciente, o que dificulta a identificação da causa do problema e sua solução.

Uma excelente forma de identificar se a insegurança está movendo sua (im)produtividade é monitorar os pensamentos e sentimentos que surgem diante as atividades que você mais procrastina. Se forem pensamentos que menosprezem sua capacidade ou se fixam no “e se algo der errado”, é muito possível que a vulnerabilidade seja sua trava.

Diante da insegurança, mesmo que hajam todas as condições para a realização, hesitamos em agir e em tomar decisões. Caso essa seja sua principal barreira para a produtividade, busque questionar as crenças que embasam essa sensação e haja a fim de comprovar a incoerência delas na prática.

2) Foco

Como diz o coelho no clássico Alice no País das Maravilhas, “para quem não sabe para onde vai, qualquer lugar serve”. Se você não sabe onde está e onde quer chegar, vai se perder na hora de traçar e trilhar o caminho até lá.

O direcionamento claro é um dos pontos mais fundamentais da produtividade, principalmente se for um planejamento SMART, como falei em um dos meus artigos mais recentes. Busque entender com o máximo de precisão o que você quer, quando, onde e sob quais condições. Trace essas metas e você já terá percorrido boa parte do caminho da produtividade.

3) Priorização

Frequentemente temos objetivos diversos agindo simultaneamente em nossa vida. Isso é perfeitamente normal e compreensível à medida que são estabelecidas prioridades sobre estas metas.

Quando não priorizamos, tudo vira urgente e nada é eficiente. Ao compreender o que terá preferência sobre seus recursos – incluindo tempo, dinheiro, atenção, desgaste mental, preocupação, etc – você consegue gerenciar melhor sua produtividade sem deixar aquela sensação de que as coisas em alguma área importante foram deixadas de lado.

Estabelecer prioridades inclui também entender o que eu estou fazendo porque preciso e o que não tem tanta relevância sobre minha vida. Este discernimento cobra de nós muito autoconhecimento (especialmente sobre nossas emoções, para aferir o que está sendo feito apenas porque gera prazeres de curto prazo, por exemplo) e responsabilidade.

4) Prazos

Metas sem prazo dificilmente saem do papel, mas a realidade é que poucos de nós definem precisamente até quando querem dar conta de uma atividade. A definição de um prazo nos auxilia a gerir nossas prioridades e a gerar uma cobrança sobre seu desempenho frente a esta atividade.

5) Mensuração

Como vou melhorar minha produtividade se não sei se estou progredindo? Mensurar é basicamente isto: aferir o quanto você avançou naquele objetivo até agora e quais resultados colheu. Uma boa mensuração nos dá informações sobre nossas maiores dificuldades, nosso ritmo de trabalho e possíveis melhorias.

Um fator que nos ajuda a mensurar nossas metas é a precisão. Se sei que até dezembro deste ano quero conseguir apresentar meu TCC com clareza, entusiasmo e confiança, identifico o quão distante estou hoje desta minha ambição, por exemplo. Muito mais do que se tivesse estabelecido que “melhorar minha comunicação” fosse meu grande objetivo para este ano.

6) Visualização

Pouca gente compreende o poder que visualizar nossas metas pode ter sobre nós e por isso cai naquela velha armadilha de deixar os objetivos na gaveta. Muhammad Ali (1942-2016) foi o maior lutador de boxe da história e usou a visualização dos golpes dos seus oponentes e das suas conquistas como ferramenta de preparação que garantiu seu histórico incrível de vitórias.

A visualização dos nossos objetivos pode nos ajudar a compreender a conexão emocional que possuímos com eles e usá-la como fator motivacional. Ajuda bastante também a superar os momentos onde a procrastinação faz um convite quase irrecusável, por exemplo.

Quando você tem bem claro o que quer e se enxerga nessa projeção, sua motivação se mantém mais firmemente, o que facilita que use bem seus recursos, incluindo o tempo.

7) Busca por aceitação

Um dos grandes pecados capitais da produtividade é buscar constantemente a aceitação do outro. Como isso pode influenciar no seu desempenho? Uma das formas mais comuns é quando você diz sim (aceita) projetos, ideias, aquisições e trabalhos pela opinião alheia e soma uma pilha de tarefas que não são sua prioridade. Por mais que você cumpra muitas atividades alheias, isso não é ser produtivo, pois você não atingiu seus próprios objetivos.

Uma ação necessária para combater este tipo de situação é dizer não ao que não soma para a pessoa que você quer se tornar. É difícil, mas a partir da prática e da clareza de seus objetivos você começa a ser mais auto direcionado(a) às suas escolhas e, por consequência, mais produtivo (a).

8) Ansiedade pela produtividade

Um dos auto sabotadores mais sutis é o do hiper-realizador, representado pela ideia de que você tem que realizar muitas coisas o tempo todo, sem propósito definido, associando estar ocupado a ser produtivo. O hiper realizador vive em busca do desempenho perfeito, sempre mascarando a insegurança em meio a um mito de produtividade.

Uma forma de identificar se você é um hiper realizador é observando o seu ritmo de trabalho e sua agenda de atividades. Se você vê que boa parte das suas atividades existe apenas para preencher o tempo ou satisfazer a cobrança de viver ocupado, você provavelmente caiu nesta armadilha.

Comente usando o Facebook

 

Deixe uma resposta