fbpx

Automotivação: 4 dicas para parar de terceirizá-la

Automotivação: 4 dicas para parar de terceirizá-la

19 de abril de 2019 Blog 0
men 1245982 1920 - Automotivação: 4 dicas para parar de terceirizá-la
- Automotivação: 4 dicas para parar de terceirizá-la

É normal sentirmos oscilações de empolgação quando nos frustramos. Nossa motivação costuma ser uma curva, variando a direção conforme o tipo e o tempo de atividade. Se é algo que você adora, provavelmente você vai dar tudo de si até que se torne algo não tão interessante, e o oposto também é verdadeiro. O problema é que nem sempre temos o prazer de estar fazendo algo empolgante e muitas atividades chatas são cruciais para destravarmos o que tanto queremos. Então, para dar conta de finalizar a missão com sucesso, temos que aprender os segredos por trás da automotivação.

1) Para onde estou indo?

Uma das coisas mais importantes para a automotivação é o senso de direção. Ter algum objetivo que conduza você é fundamental para orientar as ações e motivar você frente a etapas e situações desestimulantes. Saber que superar aquele momento vai ser importante para sair do ponto A (incômodo ou infrutífero) para o ponto B (uma melhor versão) ajuda a dar um gás.

Para usar esse poder das metas ao nosso favor, devemos delimitá-las com precisão, apontando o que especificamente queremos, quando queremos e se é realmente viável dentro das nossas atuais condições. É o conceito de metas SMART que abordei recentemente em um dos meus artigos. Desta forma conseguimos visualizar claramente o que queremos e podemos definir os passos que nos levam até lá.

Por exemplo: Sabendo que tenho um grande objetivo de ajudar pessoas através da enfermagem de resgate, então a cansativa rotina universitária ganha significado. Esta nitidez me dá pontos extras de motivação quando o desânimo bate. Assim compreendo também que para isso preciso concluir a faculdade e fazer uma especialização na área para poder atuar no cenário que imagino. Compreende? A clareza nos ajuda a traçar um ensaio mental de quem seremos.

2) Visualização

chasing 3744753 1920 - Automotivação: 4 dicas para parar de terceirizá-la

Sabe essa clássica imagem de uma pessoa ou animal correndo atrás de um objeto pendurado na sua frente? Tomando esta ideia como uma ilustração construtiva, concluimos que nossas metas têm que ser estes itens que perseguimos diariamente. Mas não uma perseguição alienada: correr atrás do que realmente faz sentido para nós.

Após essa definição precisa de onde queremos chegar que falei anteriormente, um passo muito importante é a visualização. Ela consiste em promover a imagem do que tanto almejamos através de elementos visuais, como fotos e acessórios. Se você está batalhando para comprar sua casa própria, por exemplo, ter uma foto da casa dos seus sonhos fixada no seu espelho pode te ajudar a se motivar. Que tal tentar com aquele grande sonho que tem?

3) Fazer algo novo

Qual foi a última vez que você fez algo pela primeira vez? Adoro essa frase por entender o efeito engajador que os desafios e as novidades trazem. Renovam a alma, expandem a criatividade e promovem um salto de automotivação.

Pense: que coisa você sempre quis fazer, tem condições de executar, mas protela até hoje? Tente um caminho novo, uma atitude diferente, um prato que nunca experimentou, um lugar que não conhece… Isso joga uma bomba de engajamento no nosso cérebro. Por que não tentar?

4) Compare

Faça uma lista de coisas que você ama fazer, faça uma de coisas que você faz diariamente e compare as duas listas. Quanto delas coincide? Como eu disse acima, não podemos fazer só o que gostamos, mas isso não nos impede de inserir cada vez mais atividades que inspirem o melhor de nós.

Tente trazer para sua rotina aquelas coisas que cabem na sua programação diária, que fariam bem e não te tirariam do foco. Talvez essa seja uma das chaves que esteja faltando para mudar sua relação com a automotivação.

Automotivação não é um bicho de sete cabeças

É comum que as pessoas tenham dificuldade de se motivarem. Não é normal, mas é comum. Isso se dá porque aprendemos muito sobre tudo, menos sobre nós. Somente quando marcamos um encontro com nós mesmos e nos abrimos a nos conhecer é que – não só a automotivação, mas também ela – flui.

É preciso saber quem você é, o que te inspira, o que quer alcançar e como pode mudar o que já está cansativo… Variar o tom da vida é uma decisão que só você pode tomar para a sua vida. Se engajando nos seus objetivos, você ganha produtividade, autenticidade e felicidade, o trio que passamos a vida toda tentando alcançar. Vamos praticar?

Comente usando o Facebook

Deixe uma resposta