fbpx

Clichês que deveríamos praticar

Clichês que deveríamos praticar

13 de outubro de 2017 Blog 0
eda47a3e1ade2e4dcc3e983bb51dbd6f - Clichês que deveríamos praticar

Clichês são frases que vivem “na boca do povo”. De maneira superficial, são expressões de sabedoria popular que são repassadas adiante. Costumamos repeti-los sem dar tanto valor ao conteúdo, repetimos omo jargões prontos e banais. Com a ascensão da internet, esses clichês se apresentam agora também em imagens e vídeos muito bem produzidos e amplamente compartilhados. Mas se pararmos pra pensar: eles são praticados?

Por que me importar com clichês?

Com certeza você já ouviu falar da frase “é tudo coisa da sua cabeça” (o primeiro clichê do artigo surgiu rápido, hein?). Esse princípio parte da ideia de que nossa mentalidade é a base de tudo que produzimos. Se nós temos uma programação mental sadia, direcionada à autoestima e produtividade, nosso resultados caminharão nesse sentido. Essa mentalidade é o conjunto de crenças que absorvemos (principalmente na infância e adolescência) e enraizamos. Elas podem ser adquiridas pela educação familiar, educação escolar, cultura local, músicas e outras tantas meios de educação.

Quando repetimos algo constantemente tendo-o como uma verdade pra nossa vida, trazemos para o mundo das crenças. Quando você ouve de seus pais desde a infância que, por exemplo, não serve para nada, e passa a acreditar nisso, sua vida toma rumos próximos à baixa autoestima e falta de iniciativa.

No caso dos (bons) clichês, infelizmente, não aderimos como uma verdade, por isso não se tornam crenças. Eles estão sendo somente repetidos automaticamente. Contudo, enquanto houver vida, ainda há chance de mudar a mentalidade, e tudo começa com a consciência sobre as crenças que lhe limitam.

Alguns dos clichês mais conhecidos são grandes pérolas que mobilizam ideias e posturas muito bacanas sobre a vida. Repeti-os automaticamente, sem entender o real sentido, é desperdiçar uma ótima fonte de ressignificação de crenças. Vamos conhecer alguns desses clichês:

1) “Corra atrás dos seus sonhos”

Você já deve ter visto diversas imagens e legendas no Facebook ou no Instagram fazendo esse convite, mas se eu te perguntar, saberia dizer quantas vezes abandonou seus sonhos por motivos menores que eles? Essa frase soa como conversa superficial, puramente motivacional e ingênua, mas é mobilizadora de ações. E o melhor: ações relacionadas ao que faz sentido para nós. Precisamos praticar mais esse clichê.

2) “Se você cansar, aprenda a descansar e não a desistir”

Costumamos dizer algo semelhante quando vemos um amigo ou uma amiga prestes a desistir de algo que acredita, mas quantas vezes praticamos? Será que essa é só mais uma frase de repetimos por costume ou realmente acreditamos?

3) “mente é como um paraquedas, só funciona depois de aberta” (atribuída a Albert Einstein)

“Aff, Aline! Mais um clichê de Instagram?!” Sim. Esse é o tipo de frase que costuma aparecer em legendas de foto nas redes sociais, por exemplo. Muitos reafirmam essa frase e versões dela, como “A pior prisão é uma mente fechada”, mas vivem a limitar seus horizontes por inflexibilidade. Ser consciente de suas convicções e como elas modulam suas atitudes é o primeiro passo para que você se permita a conhecer ou ouvir com respeito posições e ideias diferentes. Para isso, é necessário ter humildade, empatia e respeito ao próximo.

4) “Pense fora da caixa”

Sou bem suspeita para falar dessa frase. Entre 2014 e 2017 liderei um projeto chamado fora da caixa por acreditar na ideia por trás da frase. Wesley Barbosa, um colega e grande referência profissional pra mim, levanta a bandeira do “pense dentro da caixa”, mas (para mim) ambas frases caminham para um ponto similar. Enquanto que pensar fora da caixa significa idealizar fora do padrão, pensar dentro da caixa é entender que as ideias e oportunidades estão ao redor, e podem ser simples. As duas incentivam a inventividade. Estar disposto(a) a criar e enxergar oportunidades é fundamental para que nossa vida vá além do convencional.

5) “A vida é um copo de água cheio até a metade; você escolhe se ele está meio cheio ou meio vazio”

Não se trata de ser ingenuamente otimista ou totalmente pessimista. Trata-se de ser capaz os lados bons e ruins de cada situação que vivemos. Quando vivermos orientados a esse pensamento, conseguimos retirar lições de cada momento e as superar dificuldades que vêm.

6) “Não deixe seus medos decidirem por você”

“Viver com medo é a pior forma de escravidão” e outras frases similares são alguns dos clichês que mais me provocam. Quantas vezes paramos ou desistimos por insegurança? Há uma recorrência gigante de fracassos que acontecem determinados por nossa desistência fundada no medo. Isso precisa mudar, caso queiramos conquistar novas metas.

7) “Todos seus sonhos estão a um passo da sua zona de conforto”

Zona de conforto é o local onde não há a insegurança do novo, mas também não há crescimento. Logo, para crescermos, temos que nos desafiar ao novo, incômodo e incerto.

8) Tudo sobre Inteligência emocional, resiliência e coach

Não são frases populares, mas direta ou indiretamente, essas expressões são altamente utilizadas de maneira distorcida ou automática. Contudo, cabe uma importância surreal a cada uma delas. Inteligência emocional e resiliência são competências importantíssimas nos dias atuais (leia mais sobre clicando aqui). E coach é um profissional que deveria ser mais procurado pela potencial transformação contida no seu trabalho (leia mais sobre clicando aqui).

9) “Tudo que você precisa está dentro de você”

Todas respostas e direcionamentos que precisamos estão dentro de nós, no nosso conjunto de valores, experiências e crenças. O cooch trabalha extremamente baseado nisso, inclusive. O desafio é maior é dar valor ao autoconhecimento. Se propor a entender mais sobre si mesmo é tido como bobagem em uma sociedade que supervaloriza o que é material e objetivo. Contudo, o autoconhecimento fundamenta a felicidade e o sucesso de maneira sólida e consistente.

10) “Ao menos tente. Se der certo, você leva o resultado. Se não der certo, você ganha aprendizado.”

Errar é um dos maiores medos da humanidade. Em especial, nossa cultura hiperboliza o erro e trata como algo totalmente e unicamente ruim. Falhar não é algo desejável e fácil, mas traz lições sempre. O que determina se essas lições serão aprendidas é quem erra.

Concluindo…

Existem outros tantos clichês, e cada um deles trás consigo lições e ideias que podem mobilizar boas coisas em nós. Reconhecer isso e incorporá-los não só às nossas palavras, mas também às nossas ações, é transformador.

Já fui radicalmente resistente a frases prontas e insistentemente repetitivas, mas hoje compreendo que trazem consigo a essência positiva de muitas coisas da nossa vida.

Comente usando o Facebook

 

Deixe uma resposta