fbpx

5 dicas de comunicação para tímidos

5 dicas de comunicação para tímidos

19 de julho de 2019 Comunicação 0
987 - 5 dicas de comunicação para tímidos

Se comunicar nem sempre é a tarefa mais fácil. Segundo um estudo publicado pela Sunday Times (2015), o medo de falar em público é o maior do ser humano, superando medo da morte e de problemas financeiros, e no Brasil cerca de 60% dos brasileiros possuem alto nível de timidez (SOAP, 2016). O problema é que a comunicação é a chave da interação humana e dos resultados possíveis através dela. Existem dicas diversas para quem enfrenta dificuldades de iniciar ou manter uma conversa ou palestra, e separei cinco bem práticas para te ajudar a “destravar”:

1) Pensar faz acontecer: ISTO MUDOU MUITO MINHA RELAÇÃO COM A COMUNICAÇÃO!

Sobre o que você anda pensando mais: sobre o que teme que aconteça ou sobre o que quer que aconteça? Já falei outras vezes sobre isto por aqui, mas vale sempre retomar: Alcançamos aquilo em que nos focamos. Se você pensa ganha força e se concretiza em (suas) ações, mesmo que não seja algo voluntário. Segundo os escritores Sargent e Fearon (2011), “Os ‘nãos’ ocorrem na linguagem, mas não ocorrem nos pensamentos. Portanto, se dissermos a nós mesmos para não fazermos algo, temos primeiro de pensar nesse algo”. Interessante, não é?

É aquele velho ditado: se você disser para não pensar em um limão, você irá fazê-lo. Se você pensa que irá ficar nervoso(a) ou que aquela sua apresentação irá dar errado, as chances são grandiosíssimas de que isso realmente aconteça. Então, seguindo esta linha de raciocínio, o primeiro passo para conseguir se comunicar com confiança é ensaiar mentalmente o sucesso da situação.

#VouDesafiarVocê a, da próxima vez que for participar de algo que desafie sua comunicação, tirar cinco minutos anteriormente para imaginar a cena com pessoas sorrindo, atentas ao que você irá falar, e você falando com confiança sobre o assunto. Repita essa visualização até você acreditar nela e experimente. Seus resultados poderão ser bem mais expressivos utilizando sua mente ao seu favor. Muhammad Ali (o maior lutador da história) usava este recurso para imaginar os movimentos do seu oponente e usar isso em seu treinamento, e ele só perdia uma luta para alguém que, segundo ele, “tinha uma visualização mais poderosa”. 

2) Provas concretas

“EU VOU TRAVAR!” Quem nunca pensou isso diante de alguma apresentação ou reunião importante?

Nossos pensamentos são importantíssimos na hora de comunicar, pois levam nossa fisiologia ao estado emocional correspondente. Por exemplo, pensando que você ficará isolado(a) em uma festa onde não conhece ninguém, sua resposta emocional vai te levar a isto. Contudo, nem todos pensamentos têm fundamento. Eles apenas disparam as emoções baseados em inseguranças nossas, então para te ajudar a VERIFICAR seus pensamentos, se liga nestas etapas:

  • Liste tudo que você estiver pensando antes desta situação social
  • Defina: é verdade (tem provas concretas), é falso ou você não sabe?
  • Para o que for falso, basta seguir adiante: não há nenhuma ameaça. E tanto para o que é verdadeiro, quanto para o que você não sabe, pense que ações podem solucionar esses incômodos.

Provavelmente você vai descobrir que tem menos razões para se preocupar do que imagina, e reconhecer isto ajuda a lidar com a ansiedade da interação social e a superar a timidez.

3) Se mostre interessado(a)

Você não precisa nem se esforçar muito para lembrar de alguém que falava sem parar sobre suas conquistas e onde tudo que você queria era sair desta conversa, não é verdade? Este é um clássico exemplo da nossa falha concepção de ser alguém interessante em um diálogo.

Tudo que as pessoas mais querem é serem 1) ouvidas e 2) acolhidas com sinceridade, e por isso a melhor forma de gerar uma conexão e ser alguém interessante é se interessar verdadeiramente pelo outro(a). Esta ideia vai contra a maré do “o que vou falar agora?” e nos direciona a entender “o que esta pessoa quer me dizer agora?”. E, cá entre nós, muitas vezes pode ser bem mais fácil ouvir do que pensar (e ter coragem para) falar, não é?

Então, experimente ouvir atentamente aquela pessoa difícil de lidar e mostrar que você entende-a e a acolhe através dos seus gestos e palavras, e “corra o risco” de fazer ela ser mais flexível com você. Faça isto com as pessoas ao seu redor e se arrisque a se tornar muito popular!

Uma das coisas que pode somar a esta posição é não adjetivar o que a pessoa fala e sim expandir a conversa através do que ela diz. Por exemplo, se o seu interlocutor diz: “Todos os dias eu corro na orla”, você pode dizer: “Você corre todos os dias na orla? Que bacana! Porque escolheu correr lá?”.

Outra dica de ouro relacionada a se interessar é o “e você?”. Se alguém te pergunta algo, dizer isto dá a chance da conversa se ampliar e você conhecer melhor a pessoa com quem conversa. 

4) Say my name

Já esteve em um lugar onde alguém mencionou seu nome e você, imediatamente, começou a procurar de onde vinha? Isto acontece porque somos treinados a estar sempre em alerta sobre nosso nome. Nossa reação sempre é imediata quando o ouvimos: prestar atenção. E aí vai uma dica para você: diga o nome do seu interlocutor(a)!

Em conversas, uso isto como forma de mostrar minha genuína atenção com o outro(a) e para atrair a atenção dele(a), mas este recurso também cabe para quando você tiver falando para uma quantidade maior de pessoas (até mesmo em uma palestra). Dessa forma, você mostra que estava falando para aquela pessoa ou aquele grupo/empresa/curso, ela a absorve com mais atenção e responde com maior nível de envolvimento afetivo. Dizer o nome do seu interlocutor(a) também é uma excelente forma de mostrar interesse (e se tornar interessante, como falamos no tópico anterior). A personalização tem este poder de aproximar e conectar as pessoas e devemos usar isto como fortalecedor das conexões sociais.

#VouDesafiarVocê a chamar o/a atendente do próximo estabelecimento que você for visitar (clínica, restaurante, academia, mercadinho… vale qualquer um!) pelo NOME. Você verá que certamente o atendimento será muito melhor do que costumava ser ou seria.

5) Espelhamento: SIMPLES, MAS INCRIVELMENTE EFICIENTE!

Um dos objetivos que se busca nas interações sociais é gerar conexão, afinidade, sincronia… E o espelhamento é uma técnica que pode auxiliar nisto. Este é aquele fenômeno que faz, por exemplo, pessoas muito amigas andarem no mesmo ritmo. É a sincronização de duas ou mais pessoas, construindo e demonstrando um nível de confiança muito importante entre elas.

Esta técnica pode ser extremamente importante para que você se conecte com alguém em uma conversa, e acontece quando você:

  • Nota a forma que a pessoa está sentada (De braços cruzados? Apoiada à mesa? Informal e confortável?) e vai se adaptando para uma posição similar,
  • Regula seu tom e ritmo de voz para conversar com alguém que fala mais devagar e baixo que você,
  • Usa um vocabulário mais informal para conversar com alguém neste perfil,
  • Em uma conversa em movimento, você caminha em um ritmo similar,
  • Ou se aproxima de temas em que a pessoa mostra interesse.

Estes pequenos itens podem gerar ganhos de confiança que te abrem portas através da comunicação, porque mostram que

  1. Você se importa com a pessoa e a nota,
  2. Está em sintonia com o que ela está fazendo, sentindo ou falando
  3. E que vocês podem desenvolver uma boa conversa juntos(as).

Mas Aline…. Vou ter que mudar minhas ações para me sintonizar com o outro(a)? Sim! A sincronia, seja espontânea ou deliberada, só acontece quando alguém cede. Duas pessoas só caminham no mesmo ritmo se alguém desacelerar ou andar mais rápido que antes, por exemplo. A mesma coisa para a comunicação. E se para você, superar a timidez e ter uma comunicação eficaz é importante, você precisa considerar tomar alguma ação que te leve a isso!

Comunicação na prática

Agora é a hora de você colocar estas dicas de comunicação em prática e contar aqui como foi. Experimente avançar na contramão da sua timidez e assuma resultados muito mais expressivos na sua vida pessoal e profissional. Afinal de contas, contato gera networking e networking gera resultado!

Comente usando o Facebook

 

Deixe uma resposta