fbpx

Três dicas para estabelecer prioridades

Três dicas para estabelecer prioridades

12 de setembro de 2019 Blog Produtividade 0
acs - Três dicas para estabelecer prioridades

Muitos põem a culpa na falta de tempo, dinheiro ou informação, mas a verdade é que nossas prioridades definem nossos resultados. Essa definição nos leva a tomar uma visão diferente sobre a autonomia que temos sobre nossa vida e nos tira da culpa e das desculpas.

O problema é que elencar preferências é uma tarefa extremamente difícil para a maioria das pessoas. Para ajudar nestes casos, sintetizei a metodologia que uso em 3 provocações: preciso fazer, seria bom se fizesse e gostaria de fazer. Elas são pautadas na Matriz GUT, que abordamos no último artigo:

25 e1567858779534 1024x463 - Três dicas para estabelecer prioridades

< Clique e confira o artigo “Os 10 mandamentos da produtividade”>

Essas premissas nos ajudam a entender o que priorizar na hora de pôr a mão na massa. Então, vamos conferir?

Preciso fazer

A primeira etapa é fazer tudo aquilo que é necessário. Obrigações e compromissos em geral podem não ser as atividades que mais adoramos fazer, mas são aquelas que geram impactos diretos em nossos resultados. Estas têm a urgência, a importância e a tendência em níveis críticos. Não dá para adiar.

Seria bom se fizesse…

São as coisas importantes e com tendência a mudar positivamente seus resultados, mas que não têm grande senso de urgência. Talvez nem sejam compromissos em si, mas apenas itens que você reconheça como importantes, que realçariam resultados ou abririam oportunidades.
A grande sacada aqui é fazer estes itens depois dos “preciso fazer”. Pense esse grupo de atividades como o “acabamento” de uma obra: não adianta você enfeitar o trabalho se não tem a base erguida.

Gostaria de fazer!

Aí entram todas as atividades que não estão nos grupos anteriores e têm com o fundamento a pura vontade de fazê-las. Elas não têm importância ou urgência e deixar de fazê-las não gera grandes impactos. Entre elas podem estar assistir série, tirar um cochilo no meio da tarde, dar uma volta, navegar nas mídias sociais e muito mais. Nossa tendência é querer sempre fazer estas atividades, que são altamente prazerosas, mas não oferecem maior impacto na resolução ou resultado para seus objetivos. Nem a curto, médio ou longo prazo.

Alguns paradigmas sobre prioridades

Compreender nossas prioridades deveria ser algo óbvio. E ao ler este texto possivelmente foi isso que você pensou sobre a estratégia detalhada. Mas infelizmente a realidade é que a maioria das pessoas queima etapas, faz o que quer antes do que o que precisa e com isso sabota seus resultados o tempo todo.

Sob a perspectiva de prioridades estão uma série de paradigmas que temos que desconstruir, e talvez o primeiro seja o de que sempre as prioridades são do campo profissional. É um mito grave, que ignora o impacto das outras áreas da nossa vida. Não esqueça: tudo depende do enfoque que você está dando àquela fase de sua vida. Se naquele momento você estipula que saúde está no topo das suas prioridades, tudo que for relacionado a isto supera em nível de importância as demais atividades.

Outro mito, sem dúvidas, é o de que ser produtivo é viver ocupado. Ser produtivo é conseguir atender às prioridades e metas daquela fase. Sem mais.

Aproveite esse pensamento de “isso é muito óbvio” e se pergunte: se é óbvio, porque eu ainda não consegui colocar em prática?

Comente usando o Facebook

Deixe uma resposta